6 grafiteiros paulistanos que você precisa conhecer

6 grafiteiros paulistanos que você precisa conhecer

By Maio 14, 2018Dicas
Deco Farkas

O graffiti é uma das formas de arte que mais têm a ver com a cidade de São Paulo. O movimento de arte urbana encontra um ecossistema quase perfeito na maior metrópole da América do Sul. Não por acaso, São Paulo é berço de grafiteiro reconhecidos ao redor do mundo. O Blog do Seu Bento separou seis artistas que você precisa conhecer:

OSGEMEOS

Osgemeos

OSGEMEOS. Foto: Facebook do artista.

Nascidos no Cambuci, bairro localizado no Centro de São Paulo, os irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo sempre se comunicaram através da arte, desde pequenos. Na década de 1980, com o início do Hip-Hop na cidade, eles começaram a mostrar seus trabalhos. A dupla era figura carimbada nos encontros do movimento no Largo São Bento. Atualmente, OSGEMEOS são referência no graffiti não só em São Paulo, mas pelo mundo. A dupla já levou sua arte para países como Estados Unidos, Portugal, Dinamarca, Suécia, Lituânia e Belarus, entre outros. Conheça o trabalho de OSGEMEOS.

Kobra

Graffiti Kobra

Kobra. Foto: Facebook do artista.

Eduardo Kobra nasceu em 1975 no Jardim Martinica, bairro pobre da Zona Sul da cidade de São Paulo. Ele começou a se expressar na clandestinidade, pichando muros, ainda na adolescência, época em que colecionava advertências no colégio e algumas detenções por crime ambiental. Mas ele continuou na arte e, passo a passo, foi se tornando referência de graffiti na cidade. Atualmente, são mais de 500 obras coloridas do artista realizadas nas ruas do Brasil e de outros 17 países. Kobra é o responsável pelo maior mural grafitado do mundo – a obra está em Itapevi e tem 5.742 metros quadrados. Conheça o trabalho de Eduardo Kobra.

Enivo

Graffiti

Enivo. Foto: Facebook do artista

Marcos Ramos, o Enivo, começou suas experiências no graffiti aos 12 anos, em 1998. Desde então, ele marca as ruas da cidade com sua arte. Formado em artes plásticas pela Faculdade Paulista de Artes, Enivo é sócio-fundador da A7MA Galeria e também educador, com o intuito de compartilhar conhecimentos e vivências com jovens focados em pesquisar e produzir arte. Conheça o trabalho de Enivo                                 

Deco Farkas                           

Deco Farkas

Deco Farkas. Foto: Facebook do artista

Deco Farkas é artistas plástico formado pela FAAP. Ele trabalha com vídeo, animação, ilustração e pintura. A arte de rua faz parte de sua vida há cerca de cinco anos. Para ele, as ruas são o “lugar para expressar o inconsciente da cidade em quaisquer suportes que ela venha a oferecer”. Conheça o trabalho de Deco Farkas

Rui Amaral

Rui Amaral

Rui Amaral. Foto: Facebook do artista.

Rui Amaral é mais um dos precursores do graffiti paulistano. Na década de 1980, ele teve sofreu repressão política e foi perseguido pelo prefeito de São Paulo, Jânio Quadros. O grafiteiro precisou da ajuda da Anistia Internacional para se defender. Algumas de suas principais obras estão no túnel da Avenida Paulista e no Beco do Batman, na Vila Madalena. Ele é formado em artes plásticas na FAAP e, além do graffiti, também já pintou cenário para a Rede Globo e TV Cultura. Conheça o trabalho de Rui Amaral.

Alex Vallauri

Alex Vallauri

Alex Vallauri. Foto: Fundação Bienal.

Alex Vallauri é o único da lista que não é de São Paulo. Nascido na Etiópia em 1949 e de nacionalidade italiana, ele chegou na cidade em 1960. Apesar de ter falecido precocemente aos 37 anos, o artista deixou sua marca na capital paulista através de suas artes. Expoente da Geração 80, Vallauri é tido como o precursor do graffiti no Brasil. Os frangos assados, telefones e botas de salto fino que apareceram nos muros da cidade deram início a um movimento que ficou mais forte a cada dia. Conheça a trajetória de Alex Vallauri.

 

O Pátio Metrô São Bento é um empreendimento comercial em implantação no Largo São Bento, bem aos pés do Mosteiro São Bento. O espaço contará com opções de gastronomia, varejo e serviços, sempre com o objetivo de simplificar a vida de quem frequenta a região. Nós sabemos da importância do lugar onde estamos e sempre buscamos valorizar a cultura e a história daqui.

Leave a Reply